O que aconteceu esta semana na CPI da Covid que investiga ação do governo Bolsonaro na pandemia

Os dias foram muito agitados e tensos, mas o pulso forte e a experiência do presidente da CPI da Covid, senador Omar Aziz (PSD-AM), foram precisos e certeiros na condução de uma comissão tão importante para vida de todos os Brasileiros.

Embora não tenha sido realizada sessão na CPI da Covid nesta sexta-feira (7), houve uma movimentação intensa nos bastidores.

O comando da CPI decidiu entrar com pedido de quebra dos sigilos de Fabio Wajngarten, ex-secretário de comunicação da presidência da República. O objetivo é tentar explicar como foi a negociação para a compra de vacinas, em especial a da Pfizer. O depoimento dele está marcado para quarta-feira (12).

A expectativa dos senadores é que essa quebra de pode explicar como o chamado “gabinete do ódio”, dentro do governo, disseminou informações e atuou na campanha pela cloroquina e contra o distanciamento social.

O depoimento do ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, na quinta-feira (6) continua sendo assunto, principalmente porque ele evitou responder objetivamente os questionamentos sobre a cloroquina. Outra polêmica da semana foi o adiamento do depoimento do ex-ministro Eduardo Pazuello. Ele alegou que se encontrou com pessoas que testaram positivo para Covid e entrou em quarentena. Agora, ele será ouvido em 19 de maio.

As expectativas para os trabalhos que serão realizados na próxima semana são muitas e aqui Blog do Marcell Mota você terá acesso inclusive aos bastidores desta CPI.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *