Manaus busca tecnologia para reduzir tempo de construção de pontes e passarelas

Em busca de soluções definitivas para a infraestrutura em relação às construções de pontes e passarelas na capital, inclusive em pontos onde os igarapés foram represados pelas redes de drenagem, o vice-prefeito e secretário municipal de Infraestrutura, Marcos Rotta, se reuniu nesta quinta-feira, 24/6, com os diretores da TVM Tecnologia, Henrique Carvalho e José dos Santos, empresa mineira capaz de fazer as estruturas em tempo menor que em obras convencionais.

Os diretores foram recebidos na quarta-feira, 23, pelo prefeito David Almeida e, durante uma apresentação, afirmaram que com um método industrial, pontes e passarelas podem ser construídas com custos menores que os praticados no mercado. A empresa, sediada em Minas Gerais, já construiu mais de 1,2 mil pontes em mais de 18 anos de existência e atuou nos desastres causados por rompimentos de barragens na Região Serrana do Rio de Janeiro, em 2011, e em Mariana, em 2015, e Brumadinho, em 2019, ambos em Minas Gerais (MG).

Manaus busca

“A determinação do prefeito David Almeida é que adotemos soluções modernas, baratas e eficientes para levar as melhorias que a população precisa em Manaus, garantindo infraestrutura de qualidade e dignidade para todos. Esta empresa possui uma tecnologia diferenciada, moderna e que pode ser aplicada em nossa capital, um lugar onde as pontes e passarelas são extremamente necessárias devido ao grande número de igarapés que cortam nossa cidade”, afirmou Rotta.

Depois de uma rápida apresentação, o vice-prefeito e parte do corpo técnico da Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf) acompanharam os diretores nas visitas em vias como as avenidas Djalma Batista, Cosme Ferreira e Lourenço Braga, além de bairros onde as comunidades são atendidas por pontes de madeira como o São José, Jorge Teixeira e Cidade Nova, para que que os empresários conheçam a realidade da capital.

Tecnologia

De acordo com o diretor-presidente da TVM, Henrique Carvalho, com um tempo médio de oito dias para a reconstrução de cada ponte – com comprimentos variando entre 28 e 50 metros -, em condições extremamente adversas, a empresa requer apenas cinco pessoas para construir uma estrutura de 12 metros. “A técnica consiste em produzir todos os elementos estruturais em nossas fábricas e implantá-los no local da instalação. O processo é tão simples que vendemos hoje kits de pontes e passarelas”, disse.

Fonte: Portal Marcos Santos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *