banner

Fortaleza das praias maravilhosas, das crianças pedintes as frentes de supermercados e semáforos do Ceará

Não dá para passar despercebido, nem muito menos, fingir que elas não estão ali, desamparadas e exploradas pelos próprios pais, tias ou avós. Em cada lugar da Cidade de Fortaleza, Capital do Ceará, você se depara com crianças pedindo por ajuda, seja em frente de supermercados, farmácias, padarias ou nos diversos semáforos espalhados pela Cidade.

A pergunta que não quer calar: onde estão os órgãos responsáveis pela assistência social do cidadão? Oque fazem a respeito deste descaso os conselhos tutelares? A prefeitura do Município de Fortaleza, ainda não se depararou com esta realidade, que pelo que foi percebido está em todas as zonas de Fortaleza?

Essa alarmante condição de crianças e adolescentes vivendo em situação de rua viola todo o ideal de dignidade humana e confronta o que é pregado pela prefeitura do Município de Fortaleza. Porque não agiu até agora?

O descaso por conta da prefeitura do Município de Fortaleza, o qual deveria garantir a cidadania desses menores, é gigantesco, assim como a visão preconceituosa e marginalizada da sociedade. O dia-a-dia desses menores é desconhecido. Não se sabe o porquê de se submeterem a certas situações e muito menos as condições de vida que eles levam.

O Estatuto da Criança e Adolescente

Conforme o Artigo 5º do Estatuto da Criança e do Adolescente, nenhuma criança ou adolescente será objeto de qualquer forma de negligência, discriminação, exploração, violência, crueldade e opressão, punido na forma da lei qualquer atentado, por ação ou omissão, aos seus direitos fundamentais.

O abandono, no Brasil, tem se tornado cada vez mais frequente, tornando-se assim uma das principais causas para os menores se encontrarem nas ruas sem amparo. Uma vez que os mesmos dependem unicamente e exclusivamente de seus pais para sobrevivência e construção social, a falta deles desencadeia diversos problemas como por exemplos os citados acima.

Sem resposta

Entramos em contato com a Assessoria de Imprensa da Prefeitura de Fortaleza para se manifestar a respeito desta denúncia, mas até o fechamento desta matéria não obtivemos retorno.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *