Alunos do SESI recebem aula de primeiros socorros

“Os 4 passos para salvar vidas” foi o tema da palestra realizada nesta quarta-feira, 4, para os alunos do Ensino Fundamental e Médio, da Escola SESI Dra. Emina Barbosa Mustafa, pelo instrutor Júlio Santos, motociclista socorrista do Samu e resgatista do Corpo de Bombeiros Militar da Amazônia (CBMAM, e especialista em Urgência e Emergências.

Procedimentos corretos diante de uma parada cardiorrespiratória (PCR) foi o assunto central da palestra. De acordo com Santos, em até três minutos, o paciente pode apresentar lesões cerebrais e em até 10 minutos o paciente pode vir a óbito, caso não seja realizado o suporte básico de vida, sendo neste caso as compressões no pulmão.

“O objetivo do suporte básico de vida para um público de crianças e adolescentes é conscientizar que eles podem ajudar a salvar uma vida e que, em apenas quatro passos, conseguem identificar uma parada cardiorrespiratória, acionar o serviço de emergência e iniciar as compressões cardíacas, que é o mais importante, solicitando assim o uso do desfibrilador”, explica ele.i

A parada cardiorrespiratória apresenta parada repentina dos batimentos cardíacos (sendo ideal que a frequência cardíaca fique entre 60 e 90 batimentos por minuto), da respiração, ausência de pulso, inconsciência e cianose (coloração azul das mucosas e da pele), explica Santos.

Ao reconhecer a PCR, é indicado pedir ajuda, de preferência a do Samu, pelo 192, em seguida, iniciar uma rápida desfibrilação, com cinco ciclos de 30 compressões e duas ventilações, suficientes para encher os pulmões, repetindo o ciclo até a chegada dos profissionais da saúde.

A ventilação pode ser boca a boca, ou com o desfibrilador automático externo (AED). Segundo Santos, em caso de respiração boca a boca é indicado que seja feita em pessoas que você conheça, nunca em um desconhecido.

De acordo com o especialista, o desfibrilador pode ser encontrado em locais com mais de 500 pessoas em circulação por dia, como escolas, shopping, supermercado, galeria ou qualquer lugar que dispor de Serviços Médicos de Emergência, então crianças e adolescentes que se estiverem nesses locais podem solicitar o aparelho e, assim, iniciar os primeiros procedimentos.

De acordo com a enfermeira Laura Guimarães, que trabalha na Escola SESI Dra. Emina Barbosa Mustafa, do São José, é importante repassar aos alunos conhecimento sobre primeiros socorros, não só para agir nas dependências da escola, mas também em casa, socorrendo um familiar, amigo, ou mesmo quem precisar.

“Solicitamos a palestra para que os alunos aprendam sobre os primeiros procedimentos a serem feitos, como no caso de uma parada cardiorrespiratória”, disse ela.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *