Tecnologia russa é utilizada para diagnóstico em adutoras do sistema de abastecimento da cidade

Manaus conta com uma rede de abastecimento que possui 3630 km de tubulações de água. Entre elas, estão 245 quilômetros de adutoras de água tratada, que possuem diâmetro entre 150mm a 1800mm. Para garantir que a estrutura opere dentro da normalidade, a concessionária está testando uma tecnologia russa que avalia a integridade destas tubulações de grande porte. É a primeira vez que o trabalho preventivo é realizado na capital.

Através de uma técnica chamada de “método de memória magnética”, as equipes da Águas de Manaus e da empresa Inspek (detentora da patente da técnica no país) estão percorrendo algumas das principais adutoras da cidade para identificar pontos de atenção. Com esses dados em mãos, a empresa vai planejar ações que possam aumentar a segurança operacional, reduzindo riscos de manutenções emergenciais, rompimentos ou qualquer tipo de impacto causado por desgastes nas tubulações.

Para realizar o processo de rastreamento, o operador percorre a pé o caminho exato por onde as adutoras passam. Munido de uma sonda que consegue medir o campo magnético da tubulação, o colaborador faz as caminhadas sobre os trechos. A concessionária contou com o apoio de agentes de trânsito do Instituto Municipal de Mobilidade Urbana (IMMU), já que em alguns trechos, as equipes precisam andar literalmente no meio da rua.

“As adutoras se desgastam ao longo do tempo por diversos fatores. A memória magnética vai apontar os locais onde isso pode ocorrer e com esses dados, vamos conseguir agir preventivamente. Queremos que o sistema sempre funcione de maneira segura e a população receba água tratada em casa sem qualquer impacto crítico”, disse o gerente de engenharia da Águas de Manaus, Marcos Antunes.  

Evolução

Além da tecnologia russa nas adutoras, a concessionária tem investido em outras soluções inovadoras para prestar um melhor serviço para a população da cidade. Recentemente, a Águas de Manaus adquiriu equipamentos para reduzir o tempo de execução de intervenções realizadas nas ruas.

Outro ponto de destaque é o moderno Centro de Controle Operacional da empresa (CCO). Inaugurado em 2019, o local consegue monitorar 24h por dia o sistema de abastecimento de água da capital, controlando os níveis de reservatórios e das estações de captação e tratamento que fornecem água para toda a cidade. “Estamos em constante busca de soluções para melhorar o saneamento básico de Manaus. Todos os nossos projetos e investimentos visam a melhoria da qualidade de vida de mais de 2,2 milhões de pessoas”, garantiu o diretor-executivo Diego Dal Magro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *