VEREADORA PATRÍCIA LOPES QUER CONSTRUIR PRÉDIO EM FIGUEIREDO E ESBANJA QUASE R$ 100 MIL DE DINHEIRO PÚBLICO SOMENTE COM PROJETO ARQUITETÔNICO

A presidente da Câmara Municipal de Presidente Figueiredo (CMPF), Patrícia Lopes (PSB), sobrinha do deputado estadual Vicente Lopes (PMDB), em face a crise que assola o país e mitiga as possibilidades de investimento dos municípios do interior, parece não se incomodar nem um pouco em desperdiçar dinheiro público. Ao contrário do recomendando por órgãos de fiscalização do etário, que instruem contingência de gastos públicos, economizar passou longe de ser uma realidade da CMPF.

Embora Patrícia Lopes insista em dizer que os vereadores têm poupado dinheiro, as decisões aprovadas na câmara contrariam totalmente o seu discurso. Na última semana, por exemplo, a vereadora anunciou que vai construir um novo prédio para abrigar os parlamentares.

O problema é que, além de querer fazer construção em tempos de crise, a vereadora já começa esbanjando dinheiro público com empresa de consultoria, para “dar vida” ao seu projeto “megalômano”. Somente para a planta arquitetônica do prédio que ela pretende construir no município, foram desembolsados dos cofres públicos, R$ 96 mil. O valor foi firmado por meio de um contrato realizado com a empresa Toledo Consultoria de Projetos LTDA – EPP, em abril deste ano.

Sem se importar muito com a opinião dos moradores de Figueiredo, e priorizando o bem–estar dos vereadores, em sua justificativa, Patrícia disse que a construção do novo prédio visa promover mais “conforto” aos parlamentares e funcionários que trabalham na Câmara Municipal.

 Reprovação

O projeto foi divulgado no Facebook oficial da Câmara de Figueiredo, no dia 28 de junho, e passou a repercutir de forma negativa. Moradores do município se posicionaram contra a nova construção por considera-la “desnecessária”, visto que, levando em conta a megaestrutura apresentada no projeto, o valor do investimento deverá atingir a casa dos milhões, conforme especulou um dos internautas. “Se só o valor do projeto custou quase R$100 mil, imagina quantos milhões serão desembolsados para construir o prédio”.

A crítica que mais se repetiu entre os comentários foi com relação à declaração dada pela vereadora Patrícia Lopes, na qual ela afirma que a casa legislativa tem “economizado” dinheiro. A afirmação foi recebida de forma irônica pelos internautas, que insistiram em reprovar a iniciativa da presidente da casa.

“Pra que essa construção gigantesca, se os vereadores fazem apenas uma sessão na semana? Acho que é muita ostentação pra quem trabalha tão pouco. A presidente da câmara, ao invés de gastar uma fortuna com planta arquitetônica, deveria criar projetos em favor do povo. Com isso ela não se preocupa”, desabafou outro internauta.

Desrespeito

Em meio a tantas outras prioridades e levando em consideração o alto índice de pessoas sem moradia, a construção gigantesca de um prédio para abrigar os vereadores que realizam sessão uma vez por semana, chega a ser um desrespeito ao cidadão que trabalha todos os dias para alcançar o sonho de ter uma casa própria.

Mas não é dessa forma que pensa a vereadora Patrícia Lopes. Ao ser confrontada nas redes sociais, após anunciar o seu projeto, ela respondeu que o seu compromisso se limita aos vereadores,  funcionários e frequentadores da casa.

A equipe do portal tentou contato com a vereadora Patrícia Lopes para que ela se pronunciasse a respeito do caso, mas até o fechamento desta matéria não obteve êxito.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *