NA FIEAM, GOVERNO DO AMAZONAS DEBATE POTENCIAL PRODUTIVO DA AMAZÔNIA COM A INDÚSTRIA

Empresários da indústria e do setor primário do Amazonas reuniram-se, na tarde desta terça-feira (21/11), na sede da Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (Fieam), na avenida Joaquim Nabuco, no Centro, para discutir oportunidades de investimentos. Na ocasião, o secretário de Estado de Produção Rural, José Aparecido, acompanhado por diretores e técnicos do Sistema Sepror, discutiu o potencial produtivo da Amazônia.

Na pauta de discussões, o Censo Agropecuário do Amazonas, primeiro tema em debate; assessoramento da Fieam para que as empresas obtenham recursos e boas taxas de financiamento; melhoria na produção e métodos de ações conjuntas entre as iniciativas pública e privada. “A agricultura sempre foi deixada em segundo plano. Temos potencialidade, expertise, mas precisamos de ações efetivas. A determinação, dada pelo governador Amazonino, é que o setor primário passe a funcionar e nossa missão, é que seja feito em um ano o que não foi feito em quatro anos pela produção rural”, disse o secretário Aparecido.

O secretário foi acompanhado pelos diretores-presidentes da Agência de Desenvolvimento Sustentável (ADS), Lúcio Flávio; da Agência de Defesa Agropecuária e Florestal do Amazonas (Adaf); Sérgio Muniz, e do diretor técnico do Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Amazonas (Idam), Rômulo Mattos.

Essa foi a 10ª reunião do Comitê de Apoio ao Desenvolvimento do Agronegócio no Amazonas, que durante todo o ano busca soluções e alternativas para tornar o setor primário do Estado mais produtivo e competitivo, em relação aos outros estados, e viável para os investidores e empresários de todo o país.

”Este é um começo para tentarmos nos unir. No Amazonas há um grande potencial a ser explorado, mas ele precisa ser bem apresentado e discutido entre nossos empresários”, afirmou Nelson Azevedo, primeiro vice-presidente da Fieam.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *