MANAUS ENCARA O DESAFIO SOBRE DUAS RODAS

 

A implantação de mais e mais espaços dedicados à bicicleta como meio de transporte, lazer ou esporte e o constante diálogo com os grupos organizados têm sido mecanismos adotados pela Prefeitura de Manaus para eliminar os obstáculos à prática do ciclismo na cidade, posicionando a capital amazonense entre as localidades brasileiras que mais investem no modal.

Recentemente, o prefeito Arthur Virgílio Neto instituiu o Dia Municipal do Ciclista para reforçar essas ações, laços e discussões e, do dia 22 a 25 de agosto, a Prefeitura de Manaus vai realizar, em parceria com o Movimento Pedala Manaus, o VI Fórum de Bicicletas Manaus, ampliando o debate. “Temos feito o possível para contemplar essas alternativas nas nossas obras de infraestrutura. Sou ciclista e a minha esposa também gosta muito de pedalar. Admiro as pessoas que organizam as pedalas e sempre recebemos suas demandas”, destacou o prefeito.

Com o evento, tanto a Prefeitura de Manaus quanto o Movimento Pedala Manaus pretendem envolver os formadores de opinião e a imprensa em geral na discussão, com metas ousadas de trazê-los para a necessária sensibilização do público a um olhar mais carinhoso e cuidadoso para o tema. A sensibilização é vista pelos organizadores como o primeiro e grande passo para a consolidação da bicicleta como um poderoso instrumento de transformação das cidades.

“Comunicação e as Bicicletas: Da Sensibilização às Pedaladas”, é o sugestivo tema proposto pelo fórum, que trará a bike como uma experiência transformadora a partir do olhar de quem vive sobre duas rodas. Além de debates, o evento promoverá painéis, oficinas, mesas redondas e intervenções urbanas trabalhando a conscientização para um trânsito seguro.

“É uma oportunidade de reunir diversos segmentos da sociedade para discutir mobilidade sustentável, onde a bicicleta tem papel fundamental. Queremos nos utilizar dos atuais meios de comunicação, desse dinamismo das redes sociais, para propagar essa mensagem e fazer com que a bicicleta ganhe ainda mais espaço nas vidas das pessoas”, explicou o coordenador do grupo Pedala Manaus, Paulo Aguiar.

O fórum acontece desde 2012 discutindo a eficácia da bicicleta como uma alternativa viável de transporte na cidade, como um meio sustentável e não poluente. Entre os benefícios destacam-se a economia, o baixo custo, o pouco espaço que ocupa, a humanização na cidade e, principalmente, a qualidade de vida aos usuários e das condições ambientais da cidade.

AVANÇOS

 

A gestão do prefeito Arthur Neto tem avançado no conceito de mobilidade urbana, contemplando, entre outras medidas, a criação de ciclovias e ciclofaixas. Já estão implantados 4,6 quilômetros na avenida Senador Álvaro Maia (nos dois sentidos); 6 quilômetros na avenida Natan Xavier e 3,2 quilômetros na avenida Campos Sales.

Parque e praças da cidade também contam com espaço para os ciclistas, a exemplo do Parque Ponte dos Bilhares, gerido pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas), que já se tornou referência para os adeptos da prática na cidade. O parque conta com uma ciclofaixa de 1.450 metros nas duas etapas e duas bike station – estações de reparos para bicicletas, contendo ferramentas de utilidade.

Projetados pelo Instituto Municipal de Planejamento Urbano (Implurb), estão mais de 19 quilômetros de ciclovia e ciclofaixa em locais como o Passeio do Mindu, Complexo Turístico Ponta Negra, área externa do Shopping T4, na zona Leste, e Parque Campo Dourado. Com o projeto Manôbike, no Centro Histórico, foram criados inéditos 14,4 km de ciclorrotas naquela área. E no futuro Parque Camapuã, que atenderá a zona Leste, a capital tem a projeção de ganhar mais 1.200 metros de ciclofaixa.

A prefeitura estuda, ainda, a implantação de novas áreas exclusivas para ciclistas em dois pontos da cidade, que deverão ser entregues neste segundo semestre. Na avenida do Futuro, no Tarumã, zona Oeste, que recebe recapeamento completo, serão implantados 4 km de ciclovia nos dois sentidos da via. Outro trecho que também está em análise, para a viabilidade de 6 km de uma ciclofaixa, é o Corredor Viário do Mindu. Essa nova ciclofaixa será interligada ao trecho já existente na avenida Natan Xavier, contemplando mais de 12 quilômetros (ida/volta), fazendo o trajeto entre as vias João Câmara e Autaz Mirim.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *