EM APENAS CINCO MESES AMAZONASTUR DE ORSINE JUNIOR, TRIPLICOU DESPESAS ENTRE JANEIRO A MAIO DESTE ANO. PAGAMENTOS JÁ ULTRAPASSAM A CASA DOS R$ 15MILHÕES

A Empresa Estadual de Turismo do Amazonas (Amazonastur) mais que triplicou os gastos em 2018, se comparado os meses de janeiro a maio de 2017 com este ano. Nos cinco primeiros meses, o valor total da despesa do órgão é de R$ 15.531.265,27 e, no ano passado, este valor não passou dos R$ 5 milhões.

No Portal da Transparência não há nenhum contrato vigente entre a Amazonastur e quaisquer empresas prestadora de serviços – os seis que constam encerraram em 2011 e não possuíam termos aditivos.

Nestes cinco meses, depois da Prefeitura Municipal de Parintins e da Folha de Pagamento – que juntos contabilizam quase R$ 7 milhões, foi a Associação Canto da Mata dos Intérpretes e Compositores do Estado do Amazonas que obteve mais pagamento da Amazonastur, recebendo o valor de R$ 961.750,00 para o Convênio nº 004/2018, cujo objeto foi a concessão de apoio financeiro da concedente à convenente para realização do evento “Ensaio dos Bumbás 2018”.

Outra empresa que desponta sempre como beneficiária do Governo do Estado, é a Uatumã Empreendimentos Turísticos LTDA (Tucunaré Turismo), que recebeu quase R$ 300 mil nestes primeiros meses deste ano. De propriedade majoritária da empresária Tereza Cristina Bulbol Abrahão, que detém 99% das ações, a Uatumã tem, praticamente, o monopólio na prestação de serviço de emissão de passagens aéreas entre as secretarias do Governo.

Entre os nomes de pessoa física que constam na lista de pagamentos de 2018, está o do diretor-presidente do órgão, Orsine Rufino de Oliveira Junior. Além do salário de R$ 14 mil que recebe, mensalmente, como titular de pasta estadual, Orsine recebeu ainda cerca de R$ 50 mil para cumprir agenda no exterior.

Das 15 notas direcionadas ao diretor-presidente, as cinco que apresentavam maiores valores estavam vinculadas à diárias de Orsine nas cidades de Nova Iorque, Washington, nos Estados Unidos e, Berlim, na Alemanha. As duas de maior valor – R$ 12.784 e R$ 6.851 – correspondem a toda uma quinzena em que ele esteve em Nova Iorque.

Para o mesmo lugar, de 17 a 22 de abril, o diretor-presidente recebeu mais de R$ 6 mil para compor a comitiva que acompanhou o governador Amazonino Mendes (PDT) para assinar o contrato com o ex-prefeito de Nova Iorque, Rudolph Giuliani, que promete reduzir os índices de criminalidade no Estado.

Mais recente, para participar de um workshop na embaixada do Brasil em Washington entre os dias 2 e 6 de maio, o titular da Amazonastur recebeu R$ 5.750.

Geralmente, nestas viagens também segue um grupo de artistas para fazerem apresentações de boi-bumbá. Sem falar em valores, uma das pessoas que esteve na equipe da viagem que foi a Washington contou que os artistas são proibidos de postarem nas redes sociais os passeios “extra-oficiais” que fazem nas cidades que visitam, mas que vale o cachê.

O Portal Contraponto 9 entrou em contato com a Amazonastur para saber de que forma essa despesa triplicada tem fomentado o turismo local, mas até a publicação desta matéria a demanda não foi atendida.

Fonte: Portal Contraponto 9

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *