COM PRESENÇA FORTE DA SEGURANÇA, MANAUS REGISTRA QUEDA DE 51% NAS OCORRÊNCIAS NO FIM DE SEMANA DO CARNAVAL

Marcado pela realização das bandas da Bica, Difusora e Boulevard, que mobilizaram mais de 100 mil pessoas, o primeiro final de semana dos grandes eventos do Carnaval 2018 em Manaus apresentou redução média de 51% no número de ocorrências criminais, na comparação com o mesmo período do Carnaval do ano passado. Os dados preliminares são da Secretaria de Segurança Pública (SSP-AM). Com presença forte das Polícias Militar, Civil e Corpo de Bombeiros nas três bandas carnavalescas, as ocorrências diminuíram: Bica e Difusora (-29%) e Boulevard (-87%).

As bandas da Bica e Difusora tiveram 46 ocorrências. Este ano, as duas bandas realizadas no centro da cidade, levando aproximadamente 65 mil foliões às ruas, registraram cinco casos de roubo, 33 de furto e quatro de lesão corporal (brigas). Ano passado, os eventos aconteceram entre os dias 17 e 19 de fevereiro, registrando 13 roubos, 54 furtos e dois casos de lesão corporal. Na banda do Boulevard, foram dois casos de roubo, oito de furto e dois de lesão corporal, este ano. Em 2017, a banda registrou 12 casos de roubo, 51 de furto e quatro de lesão corporal.

Os dados foram compilados pelo Setor de Análise da Informação, Geoprocessamento e Estatística, com base nos dados do Sistema Integrado de Segurança Pública (SISP) e registros dos Distritos Integrados de Polícia e Delegacias Especializadas.

Um efetivo extra de mais de 1.500 policiais militares foi empregado na operação de segurança para o Carnaval entre a sexta-feira (02/02) e a madrugada de segunda-feira (05/02).  Nesse período, a cidade teve 44 eventos carnavalescos, a maioria de pequeno porte. No final de semana, o vice-governador e secretário de Segurança, Bosco Saraiva, fiscalizou as maiores bandas através da Operação Alegoria Proibida. Composta por policiais civis, militares e Corpo de Bombeiros, a operação percorreu as bandas da Bica e Rádio Difusora, no sábado, e as bandas do Boulevard, Baixa da Hégua, no Educandos, e Esquenta do Vieiralves, no domingo.

Reforço – Na noite de domingo, durante fiscalização a Banda do Boulevard, Bosco Saraiva determinou reforço no policiamento. O efetivo trabalhando na operação era de cerca de 400 policiais. “É preciso aumentar a presença da polícia uma vez que o evento já está com mais de 50 mil pessoas e a planejamento inicial era para um público menor que esse”, disse o secretário de Segurança.

Bosco Saraiva caminhou entre os foliões e fiscalizou o cumprimento da portaria que regula o Carnaval 2018, emitida pela SSP em janeiro. Dentro da área das bandas, não houve registro de comércio de bebidas em garrafas de vidro e churrascos em espetos. “Entramos, de fato, no grande fogo do Carnaval em Manaus. A partir de agora, as grandes bandas e eventos acontecem até o encerramento na Quarta-Feira de Cinzas. A nossa operação é para dar proteção aos brincantes”, enfatizou.

Suporte – O esquema de segurança para as bandas envolveu policiamento a pé e em viaturas circulando nos arredores, com um esquema para a chegada e dispersão do público, com foco para as paradas de ônibus, conforme ressaltou o Comandante-Geral da PM, Coronel David Brandão. A unidade móvel da PM, com câmeras de visualização 360 graus, foi instalada nos dois eventos para dar suporte ao trabalho das equipes.

“As delegacias funcionaram normalmente, em seu trabalho ordinário. Esse é um grupo de elite que fica nas operações sem interferir no funcionamento dos distritos. Queremos pedir que as pessoas brinquem com segurança para que o Carnaval siga sendo essa festa bonita”, enfatizou o delegado-geral, Mariolino Brito, que acompanhou a fiscalização da Operação Alegoria Proibida.

Estratégia inédita – Por determinação do vice-governador e Secretário de Segurança, o Corpo de Bombeiros adotou estratégia inédita para o Carnaval de rua deste ano. As bandas da Bica, Difusora e Boulevard tiveram a presença de Bombeiros Militares, Unidades de Salvamento em Altura, Combate à Incêndio e de resgate hospitalar.

“Fiscalizados as saídas de emergência, o sistema de prevenção a incidentes e todas as regras que os organizadores precisam cumprir. Colocamos quatro viaturas, inclusive, uma unidade de resgate pré-hospitalar, a presença dos bombeiros militares para fazer a prevenção e atendimento de alguém que passasse mal e uma unidade de salvamento em altura”, explicou o Comandante-Geral do Corpo de Bombeiros, Coronel Mauro Freire.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *