Blog do Marcell Mota

AMAZONINO MENDES ABRE TRABALHOS DA ASSEMBLEIA NO AM

O governador Amazonino Mendes fez a abertura dos trabalhos na Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (ALE-AM), nesta quinta-feira (1º). Na ocasião, disse que deve enviar proposta de reforma administrativa ainda em fevereiro para equilibrar as finanças do estado e que pretende injetar cerca de R$ 1,5 bilhão nos cofres públicos em 2018.

A solenidade da 18ª Legislatura iniciou por volta das 10h, sob o comando do presidente da Casa, David Almeida. Na mensagem anual, Mendes comentou sobre as dificuldades a serem enfrentadas até o fim do mandato como governador. O relatório sobre o governo no ano de 2017 foi entregue aos deputados no plenário.

“É preciso notar que esse relatório traz informações de três governos. E é preciso saber que houve um vendaval no país é esse vendaval chegou até nós, não necessariamente e exclusivamente no ano que passou, mas já há algum tempo a nação vem sendo flagelada e isso aliado à falta de experiência, ao descompromisso poderia acarretar desastres. O desastre se abateu sobre a nação e também se abateu sobre nós”, afirmou.

Apesar da crise econômica, o governador afirmou ter uma visão positiva sobre as contas do estado, e que deve injetar cerca de R$ 1,5 bilhão nos cofres públicos.

“Estamos buscando contratos das dívidas gigantescas, vamos reduzir esses custos, estamos auditando contratos, porque é preciso. São inúmeros os resultados, demora a aparecer, é natural, mas já imprime uma confiança, já nos dá crédito, já sabemos que vamos recuperar a saúde pública, é questão de tempo. Nós vamos colocar, este ano, R$ 1,5 bilhão nos cofres públicos do estado, vamos equilibrar as finanças”, disse.

Amazonino informou, também, durante o discurso, que não deve falar sobre reeleição. “Não me perguntem por reeleição, estão proibidos de falar de política comigo, falem de administração, recomposição, reconstrução e vitória de um estado que está cansado de sofrer”, disse.

Em entrevista coletiva, o governador falou que deve, ainda, ajustar o salário dos secretários e enviar a proposta de uma reforma administrativa ainda este mês para a Assembleia Legislativa e convocar aprovados no concurso publicado da Secretaria de Estado de Saúde do Amazonas realizado em 2014.

“Nós estamos pensando na reforma administrativa porque o estado precisa, não sei se o momento ainda é apropriado porque as coisas ainda estão muito confusas no setor administrativo, mas estamos estudando. Eu acho que a estrutura está grande demais, temos que enxugar mais isso e reordenar os objetivos administrativos”, disse.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *