MANAUS GANHA MAIS TRÊS PARQUES DA JUVENTUDE

A Prefeitura de Manaus anunciou as obras de implantação de parques da Juventude nas Áreas Verdes dos conjuntos Hileia 2, no bairro Redenção, loteamento Monte Sinai, no Monte Sinai, e dos Sargentos e Subsargentos, bairro Flores, nesta terça-feira, 9/4, em solenidade de assinatura dos projetos básicos e Termos de Adoção dos três espaços por empresas e associações de moradores que serão responsáveis pela manutenção dos mesmos.

As obras foram mediadas pelas secretarias municipais de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas) e de Parcerias e Projetos Estratégicos (Semppe), integrando a política pública de gestão de áreas protegidas municipais e visam o melhoramento da qualidade ambiental, em consonância com a melhoria da qualidade de vida das populações residentes no entorno dessas áreas. Os parques ficarão prontos em 90 dias, a contar da assinatura dos projetos básicos.

Os espaços serão dotados de equipamentos públicos, como pista de caminhada, iluminação de LED, academias ao ar livre e parquinho infantil, além de jardinagem e arborização, obras de responsabilidade das empresas RD Engenharia e Comércio e Malbec Empreendimentos Imobiliários – Morar Mais. A adoção dos espaços para manutenção e cuidados após as obras foi assinada pelos representantes das associações de Moradores do Conjunto Hileia, do Conjunto de Sargentos e Subtenentes e do Loteamento Monte Sinai.

De acordo com o secretário municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade, Antônio Nelson de Oliveira Júnior, a adoção fecha um ciclo iniciado pela demanda da comunidade. “As áreas verdes, historicamente vítimas de mau uso e vistas como locais de lixeiras viciadas e de marginalidade, a partir da gestão do prefeito Arthur Neto renasceram e passaram a ter suas funções social e ambiental restabelecidas, o que contribui para a instituição de metas de cobertura vegetal da cidade”, explicou o secretário Antônio Nelson.

A secretária de Parcerias e Projetos Estratégicos, Maria Josepha Chaves, destaca a importância da integração entre as secretarias e a parceria com a iniciativa privada. “Estamos avançando na expansão do Programa de Adoção de Espaços Públicos, como determina o prefeito Arthur Virgílio Neto, buscando alternativas de envolver a iniciativa privada principalmente por meio dos conceitos de responsabilidade social e de cuidado com o meio ambiente, propondo o resgate do sentimento de pertencimento dessas empresas nas comunidades em que são convidadas a desenvolver os projetos. Os resultados diretos para a sociedade e a possibilidade do poder público direcionar os recursos do município para áreas prioritárias são o foco das atividades da Semppe. São mais três espaços que passarão por requalificação total, além de receberem manutenção periódica das associações parceiras por um período mínimo de cinco anos”, disse a secretária.

Também participaram da solenidade do vice-líder de governo na Câmara Municipal de Manaus, vereador Gilvandro Mota (PTC) e a deputada estadual Terezinha Ruiz (PSDB).

Com essas três áreas verdes, somadas às dos conjuntos Colina do Aleixo, Novo Aleixo, e Jardim Primavera, no Parque 10 de Novembro, sobe para 11 o número de áreas verdes contempladas por projetos de requalificação ambiental, via compensação ambiental da atual gestão.

Representante da empresa responsável pelas obras no conjunto Sargentos e Subtenentes, Henrique Medina falou da satisfação de envolver a empresa em projetos socioambientais como o parque da Juventude. “Apresentação do projeto nos contagiou e gostaria de parabenizar a prefeitura pelo belo trabalho que está desempenhando. Nos sentimos honrados em participar desse projeto e estamos à disposição para outros projetos, sempre que aparecerem”, comemorou.

Para José Justino Santos de Araújo, a oportunidade de receber um espaço revitalizado é um verdadeiro presente para a comunidade que se comprometeu em manter os cuidados a partir da entrega. “Nós temos essa área verde que há mais de 30 anos está sendo mantida pela comunidade a muito custo, revitalizamos com muito sacrifício, por meio de cotas e feijoadas para arrecadar fundos para fazer o mínimo para usufruir do espaço. Essa iniciativa é como um presente para nós e a prefeitura está de parabéns, inclusive pelo curto prazo de entrega previsto para 90 dias. Agradecemos de todo coração e estamos às ordens para o que for necessário, para apoiar o trabalho”, afirmou

Passarelas suspensas

Após as assinaturas dos projetos básicos, foram reabertas as passarelas suspensas que compõem o conjunto de trilhas destinadas à contemplação da natureza no parque municipal do Mindu, unidade de conservação gerida pela Prefeitura de Manaus, por meio da Semmas. As passarelas somam, ao todo, 140 metros de extensão e permitem ao visitante a visualização privilegiada da copa das árvores que compõem a flora nativa e a fauna do parque.

As passarelas estavam interditadas desde o ano passado, em função do desgaste natural causado pelo tempo. A reforma utilizou madeira de reaproveitamento florestal de áreas licenciadas para desmatamento e levou dois meses para ser concluída.

O parque do Mindu é o segundo maior fragmento florestal urbano do Brasil, com rico acervo de fauna e flora amazônicas, e possui, no total, 12 trilhas que se constituem no principal atrativo da unidade. O prefeito Arthur Virgílio destaca o aumento obtido na visitação ao parque desde que assumiu a Prefeitura de Manaus em 2013.

“Começamos, em 2013, com um número anual de visitantes que não passava de 20 mil. O cuidado da nossa gestão com aquele espaço protegido de Manaus leva hoje mais de 200 mil pessoas a visitarem anualmente o parque seja para contemplar a natureza, realizar pesquisas acadêmicas, tomar um café regional ou apreciar feiras e eventos que ocorrem lá”, afirmou o prefeito.

As passarelas suspensas facilitam a visualização das copas das árvores, sendo ideais para registros fotográficos e atividades técnico-científicas de observação de fauna. Para a instalação dos dormentes (piso) das passarelas, foram utilizadas madeiras de espécies como a jarana (dura e de cor avermelhada que serve muito bem para a atividade) e a sucupira vermelha, madeira de lei da região amazônica. O secretário Antônio Nelson ressalta o esforço empreendido pela gestão para dar às unidades de conservação a devida visibilidade e importância.

“O prefeito Arthur Virgílio Neto tem um carinho especial pelo parque do Mindu por ele ter sido o responsável pela proteção da área, garantindo em 1992 a criação da unidade de conservação juntamente com os moradores do Parque 10 de Novembro, combatendo a ação de grileiros na época”, afirmou o secretário Antônio Nelson. Segundo ele, com a entrega das passarelas suspensas, o parque passa a ter praticamente toda a sua estrutura física recuperada e apta ao recebimento de visitas.

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *